Direito do Trabalho

Compensação de horas: entenda agora como funciona!

julho 9, 2019
compensação de horas,
Tempo de leitura 3 min

A compensação de horas é uma alternativa ao pagamento das horas extras feitas pelos trabalhadores. Nesse caso, eles recebem períodos de folga para compensar a extensão da jornada de trabalho.

Essa compensação é feita pelo banco de horas, que sofreu grandes alterações pela reforma trabalhista em 2017. Por isso, é fundamental compreender as regras aplicáveis para aproveitar os benefícios dessa prática na empresa.

Pensando nisso, preparamos este conteúdo para explicar como funciona a compensação de jornada pelo banco de horas. Confira!

Como instituir o banco de horas na empresa?

Essa foi a principal mudança trazida pela reforma trabalhista. Antes, os bancos de horas eram instituídos por meio de normas coletivas de trabalho, com a intervenção do sindicato da categoria.

Agora é possível fazer isso por acordos individuais escritos ou tácitos firmados entre o colaborador e a empresa. Isso significa que a norma não precisará ser aplicada, necessariamente, para todos os empregados, garantindo mais flexibilidade para as relações trabalhistas, já que é possível a negociação individual de compensação.

Um cuidado importante é que, mesmo com a instituição do banco de horas, é preciso ter atenção à jornada máxima diária. De acordo com a lei, o empregado não pode trabalhar mais de 10 horas por dia. Assim, considerando a jornada regular de 8 horas, o colaborador poderá prestar apenas 2 horas extras por dia, em regra.

Qual o prazo para a compensação de horas?

O prazo para a compensação de horas dependerá do acordo feito entre as partes. Quando o banco é previsto em norma coletiva, as horas devem ser compensadas em até um ano ou em prazo inferior, caso esteja disposto dessa forma.

Powered by Rock Convert

Nos bancos de horas individuais o prazo pode ser estabelecido livremente entre as partes, desde que observado o limite máximo de 6 meses para os acordos escritos ou de 1 mês para os acordos tácitos. Ao término do período, as horas que não foram compensadas deverão ser pagas como extras, observando o adicional de, no mínimo, 50%.

Quais os benefícios dessa prática?

A principal vantagem do banco de horas é a possibilidade de reduzir as despesas com o pagamento de horas extras na empresa, já que os trabalhadores compensarão o período com folgas.

Outro benefício importante é que essa prática permite que os empregados tenham períodos de folga adicionais para que possam lidar com seus assuntos pessoais e realizar atividades que exigiriam a falta ao trabalho. Isso auxilia na redução de faltas injustificadas e aumenta a motivação dos colaboradores.

Quais as desvantagens do banco de horas?

A implementação dessa prática exige que a empresa adote medidas para um controle eficiente do banco de horas, com o registro da jornada e das horas disponíveis para que o trabalhador receba as folgas compensatórias.

Mensalmente, ele deve receber um extrato informativo com as horas trabalhadas no mês e as acumuladas. A falta de controle de horas nos moldes exigidos pela lei pode invalidar o banco, fazendo com que a empresa tenha que pagar as horas extras normalmente.

A compensação de horas é uma estratégia que traz diversos benefícios para a empresa, desde que usada corretamente. Portanto, caso queira implementar esse sistema, confira todos os requisitos para atender à legislação e evitar irregularidades que podem invalidar o acordo.

Este artigo esclareceu o assunto ou ainda restou alguma dúvida? Deixe o seu comentário no post!

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário